Obesidade energética e efeitos no corpo físico

Os comportamentos e sentimentos são os criadores do campo astral do ser humano no qual movimentam-se forças geradoras de saúde ou doença, conforme a qualidade daquilo que emitimos pelo que pensamos, sentimos e fazemos.

Para manter o nosso campo energético em equilíbrio e fortalecer a autodefesa é fundamental radiografar quais as emoções e condutas respondem pela perda (desvitalização) ou pela obesidade (excesso de energia), e também sobre quais chacras são afetados por essa situação de falta ou escassez.

Vou analisar nesse texto somente a chamada obesidade energética, um excesso de energia estática e sem metabolização no campo astral (duplo etérico + aura) do corpo físico. Vale lembrar que esse acontecimento não tem nenhuma relação com a obesidade física (pessoas acima do peso).

Pessoas obesas energeticamente possuem no mínimo três ou mais chacras lentos ou praticamente paralisados ou com rotação invertida, impedindo o processo natural da metabolização das fontes de suprimento naturais, que são o éter cósmico, o fluido vital e o kundalini (energia criativa). Esse elevado percentual de energia sem metabolismo cria um “inchaço” no duplo etérico (corpo mais próximo ao corpo físico), e o resultado disso é o acúmulo que cria algumas “crostas ou cascas” nesse corpo etérico.

O efeito disso chega ao corpo físico de forma muito variada para cada pessoa. Anotemos alguns quadros mais prováveis: cansaço crônico, dores crônicas, humor alterado, problemas de circulação sanguínea, pressão alta, tensão muscular, redução da imunidade endócrina, alergias, inchaços e fibroses musculares provocados por “bolsões de energia”, irritabilidade do sistema nervoso, libido descontrolada.

Como disse no início, são os pensamentos, sentimentos e comportamentos que produzem esses desequilíbrios. No caso da obesidade, é a conduta muito centrada no ego, pessoas que exigem ou vivem para ter muito mais do que precisam para si próprias. Elas consomem energia, vampirizam onde sobra e onde falta.  Os tipos emocionais mais identificados com essa característica são os egoístas, vaidosos, realizadores apegados aos bens materiais, traidores, acomodados e indolentes que esperam tudo da vida e das pessoas, portadores de transtorno de caráter e de personalidade (doenças mentais graves), pessoas com distúrbio do sono em função de preocupações crônicas, enxaqueca em razão de usar demasiadamente o chacra frontal (no meio da testa) para criar meios de adquirir vantagens pessoais, entre outros. Sabe aquela frase usada no popular “ficar secando uma pessoa”, a famosa inveja ou intenção negativa com uma pessoa? Essa é uma das posturas que costuma produzir essa obesidade energética. Alguém “seca” o outro, mas não é somente o seu alvo que é prejudicado. O invejado perde energia e o invejoso consome mais que deveria.

Consideremos, porém, que são inúmeros os tipos de comportamentos e emoções que podem gerar esse quadro de adoecimento por obesidade energética.

Vejamos das agora três exemplos mais rotineiros na prática usando os traços emocionais que alicerçam a doença e os chacras, embora isso tenha uma enorme variação de pessoa para pessoa, e também de contexto para contexto.

Sentimento de egoísmo – afeta o chacra genésico acelerando-o favorecendo a sensualidade exacerbada.

Vaidade – afeta o chacra frontal desacelerando-o criando campo para as dores físicas, dificuldade de concentração e foco.

Preocupação – afeta o chacra solar gerando força de inversão no chacra (rotação contrária) e doenças no sistema digestório e endócrino, afetando principalmente a pele.

Volto a dizer, não existe necessariamente uma relação entre pessoas acima do peso e obesidade energética. Tudo acontece é no campo astral da pessoa.

Existem várias iniciativas para regularizar o equilíbrio da ecologia energética. É um trabalho que pode ser realizado em consultório, sem qualquer interferência espiritual, apenas com técnicas, orientações e psicoterapia.

Quem deseja realmente saúde não pode deixar de investigar essa esfera da nossa vida e adotar uma “dieta” emocional para essa doença energética.

Site profissional – www.wanderleyoliveira.com.br

Blog profissional-  www.wanderleyoliveira.blog.br