Diversas dores musculares são indicadoras potentes de questões energéticas e emocionais mal resolvidas ou em desequilíbrio.

Essas dores derivam, quase sempre, de pontos de tensão no corpo em função de uma forma emocional de viver. Mães superprotetoras, por exemplo, lembram a galinha que coloca força nas asas para proteger os pintinhos. Imagina agora uma mãe com os braços (asas) super “colados” ao corpo, fazendo uma pressão que representa a atitude emocional de superproteção. Essas mães vão apresentar problemas musculares no romboide (nas costas), ou nos ombros, ou nos cotovelos, enfim… As emoções organizam reflexos dolorosos no corpo.

Esses comportamentos com o tempo podem criar fibroses e outros danos às cadeias fisiológicas e são também alvos de aglomeração de energia estática, chamados por mim de bolsões energéticos.

Esses bolsões se formam exatamente por conta de velhas atitudes repetidas. São bloqueios que podem impedir resultados satisfatórios da terapia em consultório. São entraves. Autênticos vampiros de forças e “amarram” o trabalho terapêutico.

Um tratamento conjunto de fisioterapia para o corpo físico e terapia para a mente trazem efeitos maravilhosos.

Alguns pacientes de psicoterapia, APÓS A FISIOTERAPIA, apresentam nítida melhora psíquica e emocional, sobretudo, na sua vitalidade, porque as dores musculares consomem alto índice de energia vital do corpo e do duplo etérico, e, além disso, servem como catalisadores de emoções mal resolvidas em certas partes do corpo, os chamados bolsões energéticos.

Fique claro que bolsões energéticos são efeitos e não causa das dores musculares. São efeito de uma vida emocional viciada e de um corpo físico que não está respondendo saudavelmente a alguma emoção. No entanto, podem potencializar diversas enfermidades físicas como alergias, inflamações e outros quadros, além dos problemas musculares. Esses bolsões, com maior frequência, são encontrados nos cotovelos, nos joelhos, na garganta e principalmente nas costas (dores lombares).

Em meus tratamentos terapêuticos em consultório sempre oriento os pacientes para os cuidados com as dores musculares e, em casos mais crônicos, indico a fisioterapia em paralelo que costuma “destravar” um volume enorme de assuntos que estão travados  por eles na terapia em consultório. É o corpo físico cooperando com a mente no encaminhamento dos temas pendentes da vida.